Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

SE7E PECADOS

Este blog destina-se a divulgar receitas experimentadas por mim, adoro cozinhar, principalmente doces, receitas da minha avó, da minha mãe que me recordam o cheiro dos tempos de criança. E outras encontradas por esses blogs fora...

04
Mai10

Arroz Integral

suzi
O post de hoje é sobre um tipo de arroz menos utilizado na culinária portuguesa. É uma questão cultural, pois este arroz é muito mais nutritivo, mais completo e mais saudável.
O arroz integral (de cor castanha, devido ao facto de não lhe ser removida a película) deve o seu valor aos nutrientes que se encontram na casca.
O arroz é uma gramínea cultivada desde há milénios na Ásia. A orizicultura, que começou por se desenvolver sobretudo em regiões tropicais e subtropicais, é hoje em dia comum em todo o mundo.
Actualmente existem inúmeras variedades de arroz, que podem ser preparadas de diversas formas, seja como prato principal, acompanhamento ou sobremesa.


Este alimento não possui gordura ou sal, mas é rico em nutrientes, nomeadamente em hidratos de carbono, que fornecem energias indispensáveis a uma alimentação equilibrada e saudável, sendo por isso a base da alimentação de mais de metade da população mundial. Contudo, para podermos falar de valor nutritivo é necessário, em primeiro lugar, distinguir o arroz branco do integral.
O arroz sofre determinados processos específicos para ter uma aparência mais atractiva aos olhos do consumidor, atingir um maior período de conservação e para que se cozinhe mais rapidamente. Para que se torne branco é-lhe retirada a casca e a película e são utilizadas substâncias, como o talco ou a parafina, para o branquear, técnicas estas que simultaneamente eliminam substâncias nutritivas.
O arroz branco contém apenas amido, e os povos mais pobres que baseiam a sua alimentação quase exclusivamente neste alimento sofrem muitas vezes de carências vitamínicas, das quais podem resultar doenças como o beribéri (carência de vitamina B1), por exemplo. Na maioria dos países ocidentais, onde a alimentação é mais diversificada, o arroz branco é geralmente um bom acompanhamento de outros alimentos, dado que fornece energia facilmente assimilável. É aconselhado em casos de desarranjos intestinais.

Por seu lado, o arroz integral deve o seu valor aos nutrientes que se encontram na casca: fibras, vitaminas, minerais e óleos essenciais. Por exemplo, a uma chávena de arroz integral correspondem cerca de 3,5 gramas de fibra, enquanto que à mesma quantidade de arroz branco equivale somente 1g.
O arroz integral é rico em vitamina E, vitaminas do grupo B, cálcio, fósforo e magnésio. Estes nutrientes são importantes numa alimentação equilibrada, e ajudam a prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares e a diminuir o nível de colesterol no sangue. No que respeita ao teor de fibras alimentares contidas no arroz integral,
estas favorecem a digestão, ajudando a promover o bom funcionamento intestinal.
O principal inconveniente deste arroz é que o seu prazo de conservação não é tão alargado como o do arroz branco, e o tempo de cozedura é mais prolongado.
O arroz é ainda um alimento considerado antialérgico, pois não contém glúten, pelo que é escolhido como base da alimentação de pessoas que sofrem de determinadas alergias alimentares, como é a doença celíaca. Também aqueles que não toleram a proteína do leite (alérgicos à lactose), ou os veganos, têm nas bebidas elaboradas à base de arroz uma óptima alternativa. A substituição do arroz branco pelo integral introduz na alimentação diária maior valor nutritivo.
Ingredientes:
3 chávenas de café de arroz integral
9 chávenas de água
sal
azeite
1/2 cebola
2 dentes de alho
Preparação:
Coloque o arroz de molho, pelo menos, 2 horas. Lave-o muito bem, mude a água e lave novamente massajando muito bem com as mãos. Na panela de pressão faça um refogado com o azeite, a cebola e o alho. Escorra o arroz e coloque-o na panela, deixe fritar ligeiramente. Adicione a água e o sal. Tape a panela e deixe cozer durante 30 minutos. Desligue a panela e deixe perder a pressão. Sirva como acompanhamento.
Este arroz tem um sabor muito agradável e presta-se a receitas diversas. Irei testar outras variações.
Aconselho a experimentarem, até porque é muito diferente do arroz tradicional e vale a pena testar este sabor selvagem!
Informação retirada do site Centrovegetariano e do blog menoscaloriasmaisvida. A receita, essa é mesmo da minha autoria!